Nigep fará consultoria para desenvolvimento da cadeia do pinhão e da erva mate
Consultoria para o programa Vocações Regionais Sustentáveis (VRS) tem o objetivo de desenvolver cadeia local de produtos típicos.

Pedro Livoratti

Agência UEL

Notícia original: Nigep fará consultoria para cadeia do pinhão e erva mate (uel.br)

A UEL, por meio do Núcleo Interdisciplinar de Gestão Pública (NIGEP), irá fazer uma consultoria para o programa Vocações Regionais Sustentáveis (VRS), desenvolvido pela Invest Paraná e outras instituições do Estado e que tem o objetivo de valorizar produtos típicos paranaenses. A equipe do Nigep vai atuar junto ao projeto que pretende melhorar a cadeia de valor do pinhão e da erva mate, que representam um símbolo da cultura paranaense. A erva mate e a folha da araucária formam a base da bandeira do Estado.

Representantes da Invest se reuniram com o reitor da UEL, Sérgio de Carvalho, e com a equipe do Nigep na última terça-feira (31), no Centro de Estudos Sociais Aplicados (CESA) para iniciar o trabalho. Segundo o professor Saulo Amâncio Vieira, do Departamento de Administração e integrante da equipe do Núcleo de Gestão Pública, além de um diagnóstico do setor, os pesquisadores deverão apresentar uma proposta para o desenvolvimento de ações e um plano de ação. Também pretendem envolver e fazer uma aproximação com os stakeholders – grupos de pessoas ou organizações envolvidos na cadeia de produção.

O trabalho deverá envolver professores e estudantes de vários cursos do CESA, Centro de Ciências Exatas (CCE), Centro de Ciências Agrárias (CCA) e Centro de Tecnologia e Urbanismo (CTU). Professora Vera Lucia Suguihiro (Serviço Social), Eduardo Augusto do Rosário Contani (Administração), Milena Kanashiro (Arquitetura e Urbanismo), Umberto Antonio Sesso Filho (Economia), Luís Miguel Luzio dos Santos (Administração), Eloiza Cristiane Torres (Geografia) e Pedro Rodolfo Siqueira Vendrame (Agronomia). Também participam do projeto os estudantes de graduação e de pós-graduação Cláudia Abe Gargel Luengo, Daniela Mayumi Yamaji, Tales Leon Biazão Sanches, Rodrigo Libanez, Pablo Capucho, Marcele Ana Luiza Favarão Leão e Geane Talia de Almeida.

Original do Paraná
De acordo com o gerente de Desenvolvimento Econômico da Invest Paraná, Bruno Banzato, o programa Vocações Regionais Sustentáveis busca abrir mercado, agregando valor a produtos originais do Paraná, com foco na sustentabilidade. Ele explica que o trabalho da UEL será amparado por mais 25 parceiros e que o objetivo é levar inovação tecnológica aos agricultores familiares e pequenos proprietários de erva mate e pinhão, melhorando renda, inclusão social e mantendo os jovens no meio rural.

O trabalho deverá começar no Centro-Sul do Paraná e posteriormente deverá ser expandido para a região do Vale do Ribeira, formado por sete municípios – Adrianópolis, Bocaiúva do Sul, Cerro Azul, Doutor Ulysses, Itaperuçu, Rio Branco do Sul e Tunas do Paraná – e que possui uma população de cerca de 100 mil habitantes. A região tem um dos menores índice de desenvolvimento humano (IDH) do Paraná.

Nesta terça-feira os participante fizeram um reunião de planejamento para expor a metodologia do programa, debater as ações iniciais e o cronograma de trabalho. “Foi um debate rico, será um importante trabalho a ser realizado nos próximos 15 meses”, definiu o gerente.

Esse é o segundo trabalho do Nigep junto ao Invest Paraná. Em março passado a equipe iniciou uma consultoria para delinear o modelo para um projeto relacionado ao turismo paranaense, que prevê a estruturação de Estações na Estrada, pontos de permanência, serviços e apoio que deverão ser implantados nas 15 regiões turísticas do Paraná. De acordo com o cronograma, o Nigep da UEL deverá fazer a modelagem técnica, além da indicação econômico-financeira de todo o projeto.


Estado e produtores formulam programa para agregar mais valor ao mate e ao pinhão
Iniciativa integra o programa Vocações Regionais Sustentáveis (VRS), desenvolvido pela Invest Paraná e outras instituições do Estado. O VRS valoriza produtos locais, envolve fomento ao turismo e busca, especialmente, agregar valor dentro da cadeia de produção.